Implantodontia


img1_implantodontia

Tratamento indicado quando o paciente perdeu um o mais elementos dentários.
Consiste num procedimento cirúgico-protético, dividido em duas fases diferentes.

1º fase – Fase cirúrgica. É colocado o parafuso de Titânio – com alto grau de pureza (material biocompatível com o organismo) no interior do tecido ósseo. Este parafuso de Titânio tem por finalidade substituir a raiz do dente que foi perdido.

img2_implantodontia

Aguardamos 4 meses na mandíbula e 6 meses na maxila, para que ocorra a osteointegração entre parafuso de Titânio e tecido ósseo. Após este período partimos para a colocação da prótese sobre este implante (2º fase).

2º Fase – Fase Protética. È feito uma pequena reabertura no local da cirurgia, realizamos a moldagem e em seguida colocamos a prótese (coroa de porcelana) sobre o implante.

img4_implantodontia

Veja o vídeo abaixo:

Todo paciente pode fazer Implante?
Não. Existem contra-indicações.

O requisito básico, é o paciente ter espessura e altura óssea para a colocação do parafuso de Titânio.
Em muitos casos é indicado fazer enxerto ósseo para se atingir o sucesso do tratamento.
Está contra-indicado para pacientes com doenças sistêmicas, tais como diabetes descompensada, pacientes cardiopatas, neoplasias malignas (câncer), gestantes, fumantes, entre outros.
Existe rejeição?
Não. O Titânio é um material biocompatível com o nosso organismo; o que existe é insucesso no período da osteointegração, ou seja, por algum motivo, o parafuso fica frouxo no interior do osso.
Este insucesso pode ser ocasionado por falta de planejamento do tratamento, infecção, falta de cuidado do paciente, alguma falha no ato cirúgico, ou erro no processo de fabricação do produto (parafuso).